0

[Storage] Symmetrix VMAX – Part. 6 – Passos para implementação Virtual Provisioning

14 Flares 14 Flares ×

Boa noite pessoal. Tudo bem?

O assunto de hoje é parte 6 da nossa série de posts falando sobre VMAX.
Hoje vou falar um pouco dos steps/fases para implementação do virtual provisioning.

A imagem abaixo ilustra um pouco do conceito de virtual provisioning.

Calma que eu explico…

O volume azul é o nosso espaço no storage, podendo ser um pool de discos, um storage group. A parte de cima representando um disco pontilhado tem um total de 40GB apresentando para algum host ou hosts qualquer. Este host escreveu efetivamente neste disco de 40GB apenas 15GB. Efetivamente no storage temos gravado apenas estes 15GB.

A ideia por trás disso tudo é termos um uso mais eficiente do storage e principalmente para podermos ir entregando recursos para os nossos clientes finais e acompanhando o quanto nosso storage está efetivamente gravado. Delimitar um ponto onde a quantidade gravada será o start da nossa compra de storage para crescimento não só vegetativo, mas até mesmo para repor e diminuir o nosso saldo entregue.

Agora vamos aos passos para criação e utilização deste recurso…

 São eles:


– Criar o Thin Pool;

– Add data devices no thin pool;

– Bind do Tdev no thin pool;


Vamos aos passos:

#symconfigure -sid XYX -cmd “create dev count=8, size=1150,config=TDEV,emulation=FBA;” commit
#symconfigure -sid XYZ -cmd “create pool POOL1 type=thin;”commit
#symconfigure -sid XYZ -cmd “add dev 187:188 to pool POOL1 type=thin, member_state=ENABLE;” commit
#symcfg list -pool -thin -sid XYZ 

Feito isso você pode fazer os passos de criação dos initiators group, storage group, port group para o qual os devices Tdevs devem fazer Map e criar o masking view.
Recomendo que seja criado um port group para ser utilizado para vários masking views, e não um port group para cada masking view.

Por que?

Simplesmente para facilitar sua administração. Tendo um único port group fica mais fácil para coletar informações, executar comandos de consulta, pois se você tiver as mesmas portas mapeadas em 10 port groups fica bem pior.

Essa parte do virtual provisioning é bem simples, porém requer essas pequenas atenções quanto a distribuição dos recursos e entendimento de cada ponto para não comprometer sua própria administração.

Abraços e boa noite.

RECOMENDADO PARA VOCÊ

João Paulo G. Marinho

Usuário linux, defensor do linux, podemos usar linux em tudo (até que se prove o contrário :D). Enfim, entusiasta de tecnologia, games, cultura, coisas de Nerd e o que mais interessar. Storage?! Só se for bom e útil... SAN? Sim, mas redundante por favor!!! :wq!

Dúvidas? Deixe seu comentário ou entre em contato.